sexta-feira, 4 de abril de 2014

Uma história de resistência

                  
                      
  
 
A ditadura instalada com o golpe militar de 64 trouxe anos difíceis para o país e para  a Universidade de Brasília (UnB). Esta por se encontrar mais próxima do poder, sofreu consequências devastadoras. Estudantes e professores mais jovens foram taxados de subversivos e comunistas.
 
O campus Darcy Ribeiro foi invadido e cercado diversas vezes por policiais militares e do Exército. No dia 18 de outubro de 1965, depois da demissão de 15 docentes acusados de subversão, 209 professores e instrutores assinaram demissão coletiva.
 
Muitas histórias daquela época estão registradas nos livros. Uma delas é a criação da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) que apresentamos aqui. 
 
1978  NASCE  A ASSOCIAÇÃO

A virtual clandestinidade, até compreensível nos dias tensos de 1977, seria paradoxalmente a marca da criação da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília.

O autoritarismo da administração central da UnB, que tivera seus momentos mais marcantes na crise artificial daquele ano, impedia, já agora no início de 1978, que os professores sequer cogitassem realizar as reuniões que tratavam da criação da ADUnB em suas salas de trabalho, ou em alguma outra dependência do campus.

A desconfiança era generalizada, por medo das delações e consequente repressão que  podiam levar da demissão por algum motivo injustificado até a prisão sob o argumento de a iniciativa ferir os convenientemente elásticos dispositivos da Lei de Segurança Nacional.

Criar a Associação dos Docentes da UnB era desejo nascido da resistência política ao autoritarismo vigente no país tão bem representado na reitoria instalada no campus, mas era também o desejo de uma entidade representativa capaz de se voltar para os problemas inerentes à vida acadêmica, da pesquisa científica às questões trabalhistas, das quais a que revelaria mais premente era a precária situação dos contratados como professores colaboradores e professores visitantes.

O Brasil forjava naqueles tempos uma nova sociedade civil, começando a desenhar relações mais modernas entre o Estado e o cidadão, cujo exemplo mais significativo naquele mesmo ano de 1978 seria  o surgimento na região conhecida como ABC paulista, após um período tenso de greves que não ocorriam no país desde 1068, de um movimento sindical que pregava mais autonomia na relação entre capital e trabalho, com menos intervenção dos órgãos de planejamento e, portanto, menos controle  estatal...

A ASSEMBLEIA FUNDADORA

Na noite  de 24 de maio de 1978, uma quarta-feira, 115 professores firmaram a ata que, um ano e cinco dias após a histórica manifestação estudantil do Dia Nacional de Lutas na praça Edson Luiz, fazia nascer oficial a ADUnB, a Associação dos Docentes da Universidade de Brasília.”

Trecho extraído do livro “ Sonho e realidade- O movimento Docente na Universidade de Brasília – 1977/1985”, publicado pela 8ª Diretoria da ADUnB em 1994.

 

Reconhecimento: Drª. Elenice Maria Ferraz recebe o Título de Professora Emérita pela Universidade de Brasília

 
Em sessão solene realizada no auditório da Reitoria, sexta-feira( 21), o reitor da Universidade de Brasília (UnB), Ivan Marques de Toledo Camargo, dirigiu a cerimônia para outorgar à ginecologista Elenice Maria Ferraz o Título de Professora Emérita da UnB. O privilégio é concedido a docentes aposentados da universidade que alcançaram grande destaque em suas diversas funções exercidas.
Ocuparam a mesa da solenidade o diretor da Faculdade de Medicina (FM), Paulo César de Jesus; o reitor e presidente do Conselho Universitário (Consuni), Ivan Marques de Toledo Camargo; e a homenageada. 
Após a execução do Hino Nacional, o reitor declarou aberta a sessão e concedeu a palavra ao professor da Faculdade de Medicina (FM), amigo da homenageada, Paulo Sérgio França. O professor proferiu um discurso enriquecedor e emocionado, contando momentos da história da professora e todo o processo de aceite da outorga. Em seguida o reitor da universidade fez a entrega do diploma de Título de Professora Emérita, que também contou com momentos musicais escolhidos por Elenice, como forma de homenageá-la e celebrar sua trajetória diante de familiares, amigos e admiradores presentes no evento.
A professora agradeceu a todos, principalmente sua família, amigos e aos estudantes pelo papel  que desempenharam em sua vida. Elenice contou ao público em uma apresentação em slides toda sua trajetória de vida, desde os tempos de colégio até a chegada à Faculdade de Medicina - e demonstrou sua satisfação em ser reconhecida como um exemplo por trabalhar com o que sempre lhe proporcionou prazer. “Receber esse título depois de sete anos de aposentadoria é um reconhecimento muito grande, significa que estamos na memória do departamento, dos colegas e de todos os colegiados. E para chegar até aqui construímos uma vida acadêmica que coroa toda essa situação”, afirmou a professora.
O colega de profissão, Dr. Cláudio Bernardo Pedrosa de Freitas, falou um pouco sobre a homenageada, de toda sua dedicação e lembrou que a homenagem se deu tardia, em função de tudo que Elenice proporcionou à instituição. “Exemplo de professora, teve toda uma vida dedicada à medicina, ao ensino e à pesquisa, uma pessoa que teve percepção sobre a saúde pública, não só na ginecologia. Sempre ocupou no Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade de Brasília uma posição de liderança e referência para todos os residentes que por lá passaram.”
O diretor da Faculdade de Medicina, Paulo César de Jesus, falou da honra, para a instituição, de abrigar professores eméritos em seu quadro. “É sempre uma honra ter mais um professor da Faculdade de Medicina no quadro de professores eméritos da Universidade de Brasília. O que fica muito forte é o exemplo de profissional que a professora Elenice sempre foi e sua batalha contínua com a formação médica e como militante em comunidades tanto brasileira como internacionais”. E lembrou também sua grande participação na maternidade do HUB. “Grande parte do que existe hoje na maternidade do Hospital Universitário é fruto do trabalho dela juntamente com sua equipe e em razão disso a maternidade leva seu nome”, ratificou o diretor.
A professora Elenice Maria Ferraz  se graduou pela Universidade Federal de Minas Gerais (1964), obteve mestrado em saúde pública pela Johns Hopkins University (1972) e doutorado em estudos de população e saúde materno-infantil, também pela Johns Hopkins. Completou residência médica em ginecologia e obstetrícia no University of Mississipi Medical Center.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Jovem brasiliense com milhares de leitores na internet é descoberta por editora e lança uma série de livros

 
“Nem todos os amores se chamam Henrique” será lançado hoje, 27 de março de 2014, às 19h30 pela editora Annabel Lee, no restaurante Carpe Diem 104 sul e é o primeiro de uma série de cinco livros.
 
Kimberlly Cavalcante nasceu em Brasília, tem 18 anos e começou a escrever aos oito, com pequenas participações em publicações escolares, mas foi na internet, aos 14 anos que a jovem despontou e pôde mostrar todo o seu talento. “Em 2010 criei um blog no site tumblr e passei a  postar textos, praticamente todos os dias, até que  postei um texto com personagens e os leitores  me pediram uma continuação, então todos os dias postava um episódio e só me dei conta de como estavam gostando da história quando deixei de postar um dia e minha caixa de mensagens ficou cheia de recadinhos ansiosos pedindo a continuação da história. Daí em diante o numero de leitores foi saltando de cinco mil para dez, até chegar aos 20 mil leitores”, relata  Kimberlly.
 
Com o sucesso do romance, que conta a história de Maria Alice, uma adolescente chamada de Mah, e todos os dramas, descobertas, amores e aventuras vividos por esta jovem que ainda vai dar o que falar, surgiram pedidos de um livro. “Não planejei publicar um livro, mas tudo aconteceu muito rápido. Fui procurada pela editora Annabel Lee que se dispôs a publicar todo meu trabalho, já tenho uma produção equivalente a cinco livros, que são continuação de uma mesma história. Uma das minhas leitoras desenhou a contracapa e tudo foi contribuindo para dar certo,  estou muito feliz e grata a Deus”, comemora.
 
Para o editor, escritor e jornalista, Rey Vinas,  Kimberlly é uma jovem escritora que consegue representar, sob vários aspectos, o comportamento e o modo de pensar de uma geração, de certo modo, enigmática e paradoxal: a chamada Geração Z, que nasceu após a década de 90, mergulhada em tecnologias, sobretudo a dos dispositivos móveis, e influenciada pela internet de banda larga e pela comunicação horizontal. “Ela representa de modo tão cristalino e natural essa geração, seu público é fundamentalmente o dos blogs, do Facebook, das redes sociais – e por isso mesmo a sua linguagem é veloz, altamente coloquial e emotiva, realmente sedutora”, avalia Vinas, que é responsável pela editora Annabel Lee.
 
Kimberlly cursa o terceiro ano do ensino médio e já se prepara para ingressar na faculdade de direito, ela confessa que tem outras paixões, além de escrever, como a música e o violão.
 

terça-feira, 18 de março de 2014

Sancionada lei que moderniza serviço de táxi no DF e permite transferir a permissão para herdeiros


                     
    
Parte da frota de táxi do DF deverá ser adaptada para pessoas com deficiência e um novo sistema de pagamento pré-pago será lançado para os clientes no aeroporto. Outra novidade é a possibilidade de transferir a autorização para prestação do serviço do titular para a família, em caso de morte, uma reivindicação antiga dos profissionais da categoria. As alterações estão previstas no Projeto de Lei nº 1.315/2012, sancionado nesta segunda-feira (17) pelo governador Agnelo Queiroz, no Palácio do Buriti. 

"Essa lei veio para abraçar a causa dos taxistas, que aguardavam mudanças desde 2012. Para nós, a principal melhoria é a possibilidade de fazer a transferência da permissão para prestação do serviço do titular para os herdeiros, em caso de falecimento. Com isso, as famílias dos taxistas não vão ficar desamparadas, como ocorria antes", avaliou a presidente do Sindicato dos Permissionários de Táxi e Motoristas Auxiliares do DF (Sinpetaxi-DF), Maria do Bonfim Pereira.

Elaborada com a efetiva participação da categoria, a norma também permite até dois motoristas auxiliares para cada permissionário. Com isso, poderão ser feitos, em um veículo, três turnos de oito horas. Outra mudança é que os carros movidos a álcool, gasolina e biocombustível deverão ser trocados a cada 5 anos, enquanto que os adaptados, híbridos e elétricos serão substituídos a cada 8 anos.

Entre os principais benefícios para os usuários, está a obrigatoriedade da adaptação dos veículos para pessoas com deficiência, que deve abranger 1% da frota. A medida inclui instalação de rampas e fixadores para cadeiras de rodas ou plataforma elevatória. Os veículos também devem ter ar condicionado, sistema de comunicação ou telefonia móvel, luz de freio elevada no vidro traseiro e dispositivo que indique situação de livre ou em atendimento.

Já o serviço pré-pago que funcionará no aeroporto, permitirá que o passageiro efetue o pagamento da corrida antecipadamente com um preço fixo. O valor será estipulado de acordo com a média do custo cobrado normalmente para o destino, pelo trajeto mais curto.

"Estamos fazendo mudanças importantes no transporte do DF e essa nova legislação representa avanços importantes para melhorar a qualidade do serviço de táxi no DF. Além de oferecer segurança jurídica para os profissionais, estamos aumentando a qualidade do serviço que contará com mais conforto e segurança", destacou o governador Agnelo Queiroz.

O chefe do executivo local também anunciou durante o evento que, até o final de abril, será feita uma licitação para aproximadamente 600 novas permissões. A medida tem como objetivo aumentar o número de táxis no DF de 3,4 mil para 4 mil. "Estaremos preparados para a Copa do Mundo e para todos os grandes eventos que captamos para Brasília", complementou Agnelo Queiroz.

"A mudança no transporte público no Distrito Federal não é apenas no transporte rodoviário, mas começa nas ciclovias. Neste mês, vamos completar 400 quilômetros de vias exclusivas para bicicletas, ampliação e modernização do metrô, integração das linhas de ônibus, Expresso DF e outras modalidades", enfatizou o governador do DF.

"Essa lei funciona como uma consolidação de todas as ferramentas para melhorar o sistema de táxi. É uma organização e reconhecimento do serviço, que segue os parâmetros da lei federal para transmissão da permissão para prestar o serviço, como ocorre com qualquer atividade comercial", finalizou o vice-governador, Tadeu Filippelli.

Também estiveram presentes no evento o secretário de Transportes, José Walter Vazquez; o chefe da Casa Militar, Coronel Rogério Leão; entre outros parlamentares e autoridades locais.

segunda-feira, 17 de março de 2014

ARTESÃOS SÃO SELECIONADOS PARA EXPOSIÇÃO DURANTE COPA DO MUNDO



 Artistas brasilienses e de outras partes país podem se inscrever, até o dia 6 de abril, para participarem de exposições e estandes de vendas de artesanato brasileiro, durante a Copa do Mundo, nas "Fifa Fan Fest" e espaços culturais das cidades-sede dos jogos do mundial de futebol.

A exigência é que os candidatos estejam inscritos no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab). Devem ser selecionadas pelo edital 60 mil peças produzidas de forma individual ou por grupos produtivos, núcleos, associações ou cooperativas de artesãos.

PARA SE INSCREVER, ACESSE O LINK:

sexta-feira, 7 de março de 2014

Concertos da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional

 
A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, realiza sob a batuta do maestro Cláudio Cohen, Concerto com a participação do pianista Pablo Rossi, na  próxima terça-feira, dia 11 de março, às 20 horas, no Teatro Pedro Calmon, localizado no Quartel General do Exército, no SMU - Setor Militar Urbano, em Brasília/DF.
No repertório da noite: Suite para Orquestra, de Mateus Araújo; Concerto nº 1 para piano, de Chopin; Suite Pulcinella, de Stravinski.  Ao piano: O jovem pianista brasileiro, Pablo Rossi, formado no Conservatório Tchaikovsky em Moscou, na Rússia. O pianista já participou de concursos nacionais e internacionais, já atuou como solista em várias orquestras internacionais e sinfônicas brasileiras, realizou inúmeros concertos e gravação de CD.
A agenda da Orquestra neste mês de março contempla as seguintes apresentações:
 
Dia 14 – Concerto na Universidade Católica;
Dia 18 – Concerto no Teatro Pedro Calmon – 20 horas;
Dia 22 – Concerto no Parque da Ermida Dom Bosco – 17 horas;
Dia 25 – Concerto no Teatro Pedro Calmon – 20 horas.

Participe! A entrada é franca. O acesso ao teatro é fácil e conta com amplo estacionamento. Para quem vai de ônibus a parada fica próxima à Igreja Rainha da Paz, no eixo monumental.
 
Serviço:
Evento: Temporada 2014 - Concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro.
Data: 11 de fevereiro (terça-feira).
Horário: 20 horas.
Local: Teatro Pedro Calmon – Setor Militar Urbano – Brasília/DF.
Entrada: Franca.
Classificação: 8 anos.
Informações: (61) 3325-6232 e 3325-6171

Gramado do Estádio Bezerrão recebe tratamento para a Copa 2014

 
A Secretaria de Esporte informa que a partir do dia 03/03/2014 o uso do gramado do Estádio Bezerrão será interrompido até o dia 20/03/2014, devido ao início dos serviços de tratamento do mesmo, que receberá furos para descompactação e aeração do solo.

A ação visa cumprir a lista de exigências da FIFA, uma vez que o local é homologado pela entidade, e será utilizado como Centro de Treinamento durante a realização da Copa do Mundo 2014.

De acordo com a Greenleaf Gramados, empresa contratada pela FIFA para execução  do serviço é importante que o tratamento seja continuo e não tenha interrupções.

A pasta comunicou no início dos campeonatos as federações e clubes que essa intervenção ocorreria, a fim de não prejudicar o andamento das partidas, e oficializou assim que recebeu a notificação da empresa acima citada.