sexta-feira, 22 de maio de 2015

Solenidade de Premiação das Olimpíadas de Física 2014 OBF e OBFEP



Será realizada no próximo sábado (23) , às 14h, no Anfiteatro 12, ICC Norte, Campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília, solenidade de premiação das Olimpíadas de Física 2014.A cerimônia faz parte das atividades propostas pela Sociedade Brasileira de Física- SBF quanto à divulgação e incentivo pela participação dos estudantes de Ensino Fundamental (9° ano) e Ensino Médio do Distrito Federal na Olimpíada ...Brasileira de Física - OBF e Olimpíada Brasileira de Física nas Escolas Públicas - OBFEP.


A Olimpíada Brasileira de Física tem os seguintes objetivos: despertar e estimular o interesse pela Física; proporcionar desafios aos estudantes; aproximar a universidade do ensino médio; identificar os estudantes talentosos em Física, preparando-os para as olimpíadas internacionais e estimulando-os a seguir carreiras científico-tecnológicas.


O DF tem 2 estudantes pré-selecionados para as Olimpíadas Internacionais de Física de 2016

TJDF obriga Faculdade Alvorada devolver documentos a 3 mil alunos


Os três mil alunos da Faculdade Alvorada agora poderão retirar seus documentos da instituição. Uma ação civil pública, movida pela Defensoria Pública do Distrito Federal, pleiteou que a Alvorada disponibilizasse todos os arquivos dos alunos, como históricos escolares, listas de presença e transferência. A juíza da 12ª Vara Cível acatou o pedido da Defensoria e ainda estipulou multa de R$2 mil para cada omissão.

Por conta de uma grande dívida, a Faculdade Alvorada foi despejada do prédio onde funcionava, na Asa Norte, em julho de 2013 e os alunos, além de não poderem continuar os estudos, ficaram impedidos de ter acessos à documentação obrigatória para transferência para outras instituições, liberação do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) ou até mesmo o diploma, no caso de alunos que já haviam concluído o curso. Em agosto do mesmo ano, a Defensoria entrou com o pedido da liminar.

A decisão saiu no último dia 11/05 e ainda será publicada no Diário de Justiça do DF. A juíza Tatiana Iykiê Assao Garcia entendeu que os alunos possuem vínculo contratual com a instituição educacional, portanto ela é a responsável pela gestão dos documentos escolares e não pode negar ou reter a documentação, sob qualquer alegação, impedindo a saída dos estudantes. O prazo para a Faculdade Alvora entregar os documentos acadêmicos é de 10 dias, contados a partir do requerimento de cada aluno.

Muitos dos estudantes precisam dos documentos para continuar o estudo em outras faculdades, firmar contratos de estágios, fazer colação de grau e/ou tomar posse em concurso. A decisão obtida pela Defensoria Pública irá beneficiar de modo coletivo todos os alunos que poderão agora tomar posse da documentação que lhes pertence”, explica o defensor público responsável pelo processo, Antônio Carlos Cintra.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Violência contra o professor é debatida na Câmara Legislativa




O Brasil está no topo do ranking dos países onde mais se pratica violência contra o professor, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Casos recentes mostram que o problema atinge escolas do Distrito Federal e refletem no afastamento da sala de aula. No ano passado, 9.224 educadores da rede pública apresentaram atestados médicos, em um universo de 30 mil profissionais. A depressão correspondeu a 27% dos casos, segundo dados levantados pelo deputado Professor Israel (PV) junto à Secretaria de Educação.   

A questão será debatida pelo parlamentar em audiência pública na Câmara Legislativa no próximo dia 18 (segunda-feira), às 10h, com a presença de profissionais de educação, entidades de classe e representantes do governo local. O objetivo é encontrar alternativas para combater as violências física e verbal sofridas pelos professores no ambiente escolar e resgatar o valor da profissão.

“Precisamos trazer de volta a autoridade moral do professor perante os estudantes e a comunidade escolar. A cultura de agressão no ambiente deve ser combatida para que a escola seja um lugar onde prevaleça a paz e a reverência ao conhecimento”, afirma o deputado. 

Diretor do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF), Washington Dourado, afirma que são muitas as formas de violência e que o debate é necessário para conscientizar a população e o poder público. “O educador sofre com a relação turbulenta que envolve pais e alunos, isso além da falta de estrutura e desvalorização salarial. Ao mesmo tempo que a sociedade cobra uma atuação eficiente não o valoriza”, diz.

Rosilene Corrêa, diretora do Sinpro-DF, acredita que esse cenário é resultado de uma sociedade violenta e permissiva. “Os jovens estão vivendo um momento de grande autonomia e a escola é o ambiente onde são colocados os limites. Quem faz isso é o professor e ele acaba perseguido por aqueles que não aceitam disciplina”, reflete.

Dentro das escolas particulares existe o agravante do medo de perder o emprego ao denunciar a violência, segundo conta a presidente do Sindicato dos Professores das Entidades de Ensino Particulares do DF (Sinproep-DF), Karina Barbosa. “Precisamos proteger o professor e resgatar sua autoridade em sala de aula. Mas, para isso, precisamos que ele seja valorizado. Se o próprio poder público não cria meios que valorizem a educação, que tipo de legado estamos deixando para que crianças e adolescentes o façam?”, questiona.

Projeto de lei – Com o objetivo de amparar o trabalhador da educação, está em tramitação na Câmara Distrital o Projeto de Lei de Proteção ao Professor, de autoria do deputado Professor Israel. O texto estabelece as prerrogativas de advertir o estudante, apreender objetos que estejam causando perturbação da aula e até determinar sua saída da sala.

Caso seja agredido ou esteja sob ameaça, o PL aponta que cabe ao educador comunicar à instituição. Além disso, a escola deve levar o fato ao conhecimento de pais ou responsáveis, no caso de menores de idade, ou ao Batalhão Escolar e ao Ministério Público.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Asfalto no Setor Central do Gama está uma lástima.


É uma vergonha  como está  o asfalto no estacionamento na frente de lojas e bancos. Cadê a Operação Tapa - Buraco?



Aprovado projeto que torna Banda Sinfônica de Brasília patrimônio da cidade


Foi aprovado em segundo turno, na Câmara Legislativa, o Projeto de Lei nº 1793/2014, que declara a Banda Sinfônica de Brasília como Patrimônio Cultural Imaterial do Distrito Federal. Criada em 1968, ela participou da estruturação da cidade e durante esse tempo chegou a sofrer uma interrupção motivada por dificuldade financeira e falta de apoio. O governador Rodrigo Rollemberg tem até o final deste mês de maio para sancionar a lei.

O PL assinado pelo deputado Professor Israel tem como objetivo proteger a memória das manifestações culturais da cidade. “Ao se declarar oficialmente algo como patrimônio imaterial ou intangível, abre-se a compreensão de manter a identidade e, ao mesmo tempo, buscar a continuidade daquela manifestação, grupo ou movimento. A Banda Sinfônica merece esse reconhecimento”, explica.

Para a presidente da Banda Sinfônica, Maria Cristina Goretti, esse título irá abrir as portas para o conjunto. “O reconhecimento como patrimônio de Brasília irá nos ajudar a estruturar a Banda, gerar emprego para os músicos, conseguir recursos e ainda desenvolver um trabalho social com crianças. Estamos na expectativa para isso acontecer”, fala a musicista.

História - A Banda Sinfônica de Brasília foi fundada por Reynaldo da Fonseca Coelho, hoje presidente de honra. O conjunto iniciou seus trabalhos na Escola Parque (307/308 Sul). Em 1978, conquistou o 1º lugar no Concurso Nacional de Bandas promovido pelo Instituto Nacional de Música, da Funarte. Foi extinta em 1985 por motivos financeiros e voltou às atividades 25 anos depois, em 2010. Mesmo com grandes desafios e a pausa na atuação, ganhou prêmios, destaque em apresentações no exterior e formou grandes músicos.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

O projeto de cooperação bilateral Brasil/Índia (MCTI – CNPq/DST) denominado “Investigation of hybrid polymer composites using chemically treated curaua and basalt fibers for medium-load Applications” contou com várias atividades na Índia


Nos dias 27 e 28 de Março ocorreu na cidade de Levengipuram, no CAPE Institute of Technology, a primeira Indo-Brazil Bilateral International Conference on Advanced Materials and Manufacturing (ICAMM 2015), organizada em conjunto pelo Prof. Dr. Jebas Thangiah Winowlin Jappes (CAPE) e pelo prof. Dr. Sandro Campos Amico (UFRGS), quee contou com a presença do reitor da CAPE, Dr. N. Azhagesan, e dos professores palestrantes brasileiros: Dr. Sérgio Henrique Pezzin (UDESC), Dr. Derval dos Santos Rosa (UFABC), Dr. Henri Stephan Schrekker (UFRGS), Dra. Sandra Maria da Luz (UNB), Dra. Veronica Maria de Araujo Calado (UFRJ) e Dr. Jeferson Avila Souza (FURG).

Foi realizado no dia 30 de Março, na cidade de Srivilliputtur/Índia o primeiro Indo-Brazil Bilateral Workshop on Research Issues in Reinforced Materials (RIM 2015), na Kalasalingam University (KLU), organizado pelo Prof. Dr. Siva Irulappasamy (KLU), que contou com a presença do Dr. Saravana Sankar, Vice Chancellor da KLU e dos professores palestrantes brasileiros.

Na oportunidade, houve também a inauguração na KLU do “Indo-Brazil Composite Center”, um centro de pesquisa destinado ao desenvolvimento e caracterização de materiais compósitos poliméricos, que é coordenado pelo prof. Dr. Siva Irulappasamy (KLU), com o apoio da equipe brasileira coordenada pelo prof. Dr. Sandro Campos Amico (UFRGS). Também foi proferido um minicurso de pela profa Dra. Sandra Maria da Luz (UNB).

Os dois eventos juntos contaram com aproximadamente 800 participantes (estudantes/professores). A delegação brasileira foi imensamente bem recebida pelos parceiros indianos e promoveram-se discussões muito proveitosas em torno de materiais compósitos e outros materiais.


sexta-feira, 8 de maio de 2015

Audiência Pública debaterá situação do Parque Urbano e Vivencial do Gama



Há trinta anos a população do Gama aguarda a implementação do Parque Urbano e Vivencial da cidade. Para debater a situação do local, o deputado Joe Valle realizará audiência pública no dia 9 de maio, às 10h, no Centro de Ensino Especial nº 1 (EQ 55/56 Área Especial 2 - Gama).
O Parque, localizado no Setor Norte do Gama, foi criado em 1998, por meio da Lei distrital nº 1.95/19898 com o objetivo de propiciar lazer, recreação e estimular o desenvolvimento de atividades culturais e educativas.
Com 59,2 hectares, o Parque conta com nascentes e atributos ecológicos nativos do Cerrado, como matas de galeria, áreas de brejo com buritizais e campos de murundus, que devem ser conservados. Atualmente, existem no local duas igrejas (uma evangélica e outra católica), duas associações de Idosos, uma loja maçônica e chácaras.
A realização da audiência é solicitação da comunidade, que reivindica para o Parque infraestrutura e segurança, já que o Parque tem sofrido com as invasões e a degradação ambiental. O evento será divido em três eixos: Poligonal, Assuntos Fundiários e Educação Ambiental e Lazer.
Os moradores do Gama não têm um local para práticas de lazer, esportes e recreação; por isso mesmo, precisam levar suas famílias para outros bairros, principalmente para o Plano Piloto, distante 35 Km, onde se concentra a maioria dos parques do DF.

Foram convidados para participar da mesa de abertura o secretário de Meio Ambiente, André Lima; a presidente do IBRAM, Jane Vilas Boa; a promotora de Justiça de Defesa da Ordem Urbanística, Iara Maciel Camelo; a presidente da AGEFIS, Bruna Pinheiro; Administradora do Gama, Maria Antônia Rodrigues Magalhães; o presidente do Conselho Comunitário do Setor Norte do Gama, Alex Ribeiro e o coordenador de Ensino Regional, Fernando Freire.