segunda-feira, 20 de abril de 2015

Atendimento gratuito à população - jurídico e Imposto de Renda


No próximo sábado, das 8h às 12h, o Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ), da faculdade UPIS, fará atendimento jurídico gratuito à população no estacionamento da Feira do Guará. Os tipos de orientações serão nas áreas cível, trabalhista e violência doméstica. Mais informações com a professora Fernanda Sampaio, responsável pelo NPJ da UPIS (3445-6761 – 3445.6748).

Já nos dias 29 e 30 deste mês, o curso de Contabilidade da UPIS também fará atendimento gratuito à população. Dessa vez para ajudar a fazer a declaração do Imposto de Renda. Esse atendimento será realizado por alunos do curso - sob a orientação de professores - no período matutino (8h às 12h) e noturno (a partir das 19h). Para falar com o chefe do departamento professor Caetano Marinho pode ligar no 3445-6713/6714 a partir das 16h30.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Oportunidade para pesquisadores do DF: Chamada Protax (CNPq)



Membros da comunidade científica e acadêmica do DF interessados em participar do Programa de Capacitação em Taxonomia (Protax) devem submeter seus projetos de pesquisa ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científica e Tecnológico (CNPq) até 08 de maio. (Acesse aqui a Chamada na íntegra).

O ineditismo desta chamada está no fato da FAPDF, após acordo com o CNPq, aportar mais recursos às propostas aprovadas ou financiar as recomendadas pelo Comitê do CNPq. Isto significa que os projetos contemplados com financiamento do CNPq poderão receber mais aporte e aqueles recomendados pelo mérito, mas não financiados, também poderão serem apoiados financeiramente pela FAPDF.

Fonte: FAPDF

Professor da USP diz que liberação do eucalipto transgênico é um erro

O professor Paulo Kageyama, da Universidade de São Paulo (USP), considerou um erro a liberação comercial do eucalipto transgênico no Brasil, decidida hoje (9) pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança, por 18 votos a 3. Um dos integrantes da CTNBio, Kageyama foi um dos votos vencidos.


Segundo o professor, ainda existem muitas dúvidas científicas sobre os impactos do plantio do eucalipto transgênico e do prejuízo, principalmente para os pequenos produtores rurais. Além disso, os produtos obtidos a partir dessa planta poderão sofrer sanções no comércio nacional e internacional, acrescentou Kageyama.

De acordo com a FuturaGene Brasil Tecnologia Ltda, empresa de biotecnologia da Suzano Papel e Celulose, com a decisão, o Brasil torna-se o primeiro país a liberar a comercialização do eucalipto transgênico. Segundo a FuturaGene, o eucalipto modificado tem 20% mais produtividade e poderá ser usado para produção de madeira e papel, entre outros itens.

Kageyama explicou que o aumento da produtividade ocorre às custas da aceleração do processo de crescimento e amadurecimento de uma árvore de sete anos para cinco anos. Nesse período é que a planta absorve mais água, disse ele. Estima-se que o consumo seja ainda maior com o eucalipto transgênico, o que pode causar danos ao meio ambiente.

Além disso, o pólen dos eucaliptos geneticamente modificados pode ser transportado por quilômetros por insetos e contaminar o mel orgânico de cerca de 500 mil pequenos produtores, que serão prejudicados na hora da certificação de seus produtos.

De acordo com dados divulgados pelo Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST), o Brasil é o maior produtor de mel orgânico – só no ano passado, foram 16 mil toneladas de mel de eucalipto.

O problema da certificação poderá chegar também ao mercado externo. "É um tiro no pé plantar transgênicos quando as principais certificadoras internacionais são contra a certificação de florestas transgênicas", disse Kageyama.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa), o Brasil, em 2010, posicionou-se como o décimo produtor mundial de papel e, em 2012, produziu 10,3 milhões de toneladas. Nos últimos dez anos, o país aumentou a produção em 27%, com crescimento médio de 2,7% ao ano.

Kageyama manifestou preocupação também com o precedente aberto com a decisão da CNTBio. De acordo com o professor, mais dois processos pedindo autorização para comercializar o eucalipto transgênico tramitam no CNTBio. A liberação para a FuturaGene pode criar precedentes, o que ele considera preocupante.
A
 coordenação-geral da CTNBio informou, no entanto, que até o momento somente foi peticionada, na comissão, a solitição da FuturaGene.

Para a FuturaGene, a liberação é um dos marcos mais significativos para a indústria florestal. "A aprovação marca também o início de uma nova fase para o manejo florestal sustentável, com o Brasil ocupando a posição de primeiro país a completar o ciclo de desenvolvimento dessa tecnologia, que possibilitará produzir mais com menos recursos", afirmou a empresa, por meio de nota.

EBC

sábado, 11 de abril de 2015

A Mobilização das ONGs - Lançamento




O coquetel de lançamento será na  ADUnB, dia 15 de abril, às 18h.

 Este livro é o primeiro estudo no Brasil que teve como seu ponto de partida a análise da mobilização da sociedade civil (ONGs, fóruns etc.) na construção de processos emancipatórios que garantissem a proteção dos direitos sexuais de crianças e adolescentes em situação de exploração sexual comercial,no período de 1993 a 2004, pós-Constituição de1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), 1990.

É orientado por uma visão crítica da sociedade e vai compreender essa questão a partir das relações construídas pela sociedade global neoliberal e o aspecto machista e racista que permeia a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes (ESCCA) no Brasil, e a força da sociedade de resistir à opressão e às formas diversas de exploração do trabalho infantil.

Esta tese de doutorado mostra que mesmo se tratando da mobilização das forças sociais no agendamento dos direitos de crianças e adolescentes junto às politicas sociais brasileiras, como uma expressão politica de baixo para cima, não significa que construimos a emancipação humana desses sujeitos, pois não conseguimos incidir contra a ordem do capital neoliberal que assolou o Brasil em 1995, nem desconstruir as desigualdades de classe, de gênero, raça e homofobia, embora temos observado avanços significativos nestas áreas.Porém, Essa questão ainda se mantém utópica. Parafrasendo o Prof. Carlos Lima, “mais uma vez se confirma a perspectiva marxiana de que a emancipação humana é impossível no círculo de giz do modo de produção capitalista. Neste, só é possível e, assim mesmo com restrições, a emancipação política”.

Referência: LEAL, Maria Lúcia Pinto. A mobilização das ONGs no enfrentamento da exploração sexual comercial de crianças e adolescentes. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2014.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Equipe do laboratório de Farmacologia Molecular (FarMol) da UnB desenvolve nova estratégia de tratamento do câncer e outras doenças



A equipe formada pelo professor Guilherme Santos, Isabel Torres, doutoranda do FarMol da Faculdade de Saúde da Universidade de Brasília, e professor Paulo Oliveira do Laboratório Nacional de Biociências de Campinas (LNBio) propôs um novo alvo farmacológico para o alterar a organização do DNA no núcleo das células e com isso modificar seu funcionamento.
O artigo recentemente publicado (31/03/2015) em uma das mais importantes revistas de farmacologia do mundo, Trends in Pharmacological Sciences - Cell, indica novas possibilidades de intervenções terapêuticas.
Além do artigo cientifico, o projeto gerou o depósito da patente de uma pequena biblioteca de peptídeos e a criação da startup “Nucleosantos Therapeutics”.
Segundo o professor Guilherme Santos, a estratégia se baseia na concepção da superfície do nucleossomo, unidade repetitiva da cromatina composta por proteína e DNA, como alvo terapêutico. Desta forma, poder-se-ia interferir na arquitetura da cromatina através do uso de moléculas, como peptídeos ou peptideomiméticos, e assim modular a expressão gênica.
Isabel Torres, co-autora do trabalho, destaca a importância dessa publicação para sua carreira acadêmica e menciona que a oportunidade de trabalhar com pesquisa de alto impacto científico requer muita dedicação e paciência, mas traz recompensas gratificantes.
Embora as principais descobertas a respeito do nucleossomo tenham sido reveladas há 17 anos, novos insights sobre sua estrutura atômica e mecanismos moleculares ainda estão surgindo, o que permitirá explorar esta nova estratégia.

Mal o artigo foi publicado, o professor Guilherme Santos já recebeu um convite para uma conferência em Baltimore, EUA, para fomentar o debate na comunidade científica.

Romances- Folhetim Românticos